CANDIDATURAS: SETOR DO TURISMO E DA INDÚSTRIA

Novo Quadro Comunitário Portugal 2030

portugal-2030

A Estratégia Portugal 2030 é a linha orientadora das políticas públicas no horizonte 2030. Esta estratégia, estrutura-se em torno de 4 Agendas Temáticas:

  1. Pessoas primeiro – um melhor equilíbrio demográfico, maior inclusão, menos desigualdade;
  2. Inovação e qualificações como motores do desenvolvimento;
  3. Sustentabilidade dos recursos e combate às alterações climáticas;
  4. Um país competitivo externamente e coeso internamente.

Esta estratégia vem enquadrar os investimentos a apoiar pelos fundos europeus e estabelecer também a estrutura operacional dos fundos da Política de Coesão:

  1. Demografia e inclusão;
  2. Inovação e transição digital;
  3. Transição climática e sustentabilidade dos recursos.
  • Cinco PO Regionais no Continente, correspondentes ao território de cada NUTS II e dois PO Regionais nas Regiões Autónomas
  • Um PO de Assistência Técnica.

1.Inovação e Conhecimento: assegurar as condições de competitividade empresarial e o desenvolvimento da base científica e tecnológica nacional para uma estratégia sustentada na inovação.

2.Qualificação, Formação e Emprego: assegurar a disponibilidade de recursos humanos com as qualificações necessárias ao processo de desenvolvimento e transformação económica e social nacional, assegurando a sustentabilidade do emprego.

3.Sustentabilidade demográfica: travar o envelhecimento populacional e assegurar a sustentabilidade demográfica, assegurando simultaneamente a provisão e bens e serviços adequados a uma população envelhecida.

4.Energia e alterações climáticas: assegurar as condições para a diminuição da dependência energética e de adaptação dos territórios às alterações climáticas, nomeadamente garantindo a gestão dos riscos associados.

5.Economia do Mar: reforçar o potencial económico estratégico da Economia do Mar, assegurando a sustentabilidade ambiental e dos recursos marinhos.

6.Competitividade e coesão dos territórios do litoral: assegurar a dinâmica económica e a coesão social e territorial dos sistemas urbanos atlânticos.

7.Competitividade e coesão dos territórios do interior: reforçar a competitividade dos territórios da baixa densidade em torno de cidades médias, potenciando a exploração sustentável dos recursos endógenos e o desenvolvimento rural, diversificando a base económica para promover a sua convergência e garantindo a prestação de serviços públicos.

8.Agricultura/florestas: promover um desenvolvimento agrícola competitivo com a valorização do regadio, a par de uma aposta estratégica reforçada na reforma florestal.

 

 
Disponibilizamo-nos para realizar o enquadramento prévio de projetos de
investimento, que esteja a ponderar em realizar.

Para mais informações Contacte-nos